Sexta-feira, 12 de Junho de 2009

Amor de Estio (ou quase...)

 

 

Eu e tu... mais um dia das nossas vidas comuns, incomuns das restantes, pensamos nós absortos na nossa realidade única e linda. Conheço-te bem a alma, sei a pessoa que és, conheço de cor o teu sabor, o teu perfume, e tu sabes quem sou, do mesmo jeito, não precisamos de o pensar... sabemos... não precisamos de o dizer... sentimos...

 

Não existem outros, só nós, as pessoas à nossa volta, os milhares espalhados pelo mesmo areal, ávidos de 4 ou 8 horas de Sol não passam de figurantes de uma peça qualquer, indiferente para o caso, e nós espectadores em toalhas juntas sob areia fofa, olhamos e apontamos defeitos... e rimo-nos disso, rimo-nos deliciosamente da vida e da felicidade que temos... das coisas simples como calções e fatos de banho ridículos, penteados, figurinhas e famílias socialmente funcionais que para nós são o contrario... e depois eu beijo-te e tu trincas-me a língua... e dizes-me ao ouvido coisas que me fazem corar... e eu faço o mesmo e tu disparas um angélico e impostor:

 

- "Parvo!"

 

E ris-te, provocante, mordendo o lábio inferior e dando-me um beliscão na barriga, cúmplices no crime do amor, julgados e culpados á pena máxima.

 

Fica-te bem a pele bronzeada (já te disse) – tão linda! - O Sol realça-te ainda mais a beleza, os teus olhos ficam mais brilhantes, e os lábios mais apetitosos, mas amo-te de igual forma, o máximo permitido pelos poetas, infinitamente... adoro beijar a tua pele salgada, e de fazer amor contigo ao chegarmos da praia, do hall de entrada para o quarto, com toalhas e roupas cheias de areia deixadas pelo chão despreocupadamente (limparemos os dois mais tarde), e depois do quarto para o chuveiro, onde o sal dos nossos corpos se dilui com a água tépida e o calor dos beijos...

 

"Nunca pensei que fosses real... meu amor..." digo-te eu, entrando em conflito com a realidade, como se fosse impossível ser tão belo e temesse, mesmo que por breves momentos, acordar apenas de um sonho...

 

Calas-me a boca com um beijo, de desejo, transformamo-nos em diabos arfantes, de respiração profunda e compassada, de corpos amantes, sedentos, devoramo-nos contra os azulejos de olhos fixos um no outro... indescritíveis… e dizes-me...

 

"Mas sou... e tu também"

 

 

Amor vincit omnia

 


Mr Anger às 13:26
Link do post | Comentar | Ver comentários (70) | Adicionar aos favoritos
|

mranger.blog@gmail.com


Ver perfil

Adicionar como amigo

. 119 seguidores

Pesquisar (Blog)

 

Julho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


Post's Recentes

Amor de Estio (ou quase.....

Arquivos

Julho 2017

Junho 2017

Agosto 2016

Dezembro 2015

Abril 2015

Outubro 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Novembro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Abril 2013

Março 2013

Setembro 2012

Agosto 2012

Janeiro 2011

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Janeiro 2007

Novembro 2006

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Agosto 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

tags

todas as tags

Links

últ. comentários

A verdadeira lição que temos de retirar destes mom...
Revejo-me no que aqui escreve (e, em geral, pelo s...
Olá cara Heidi,Com o frio vigente é mais caso para...
"At first (you were) afraid, (you were) petrified....
Cara HeidiÉ por aí, como na velha máxima: "...the ...
Nada é certo dentro da nossa vida. Por mais bases ...
Se não passa de dois bitaites e mais nada, não vej...
Caro Mr AngerComo diriam as mentes simples: "Alive...
Cara Mallory,Sem querer ferir susceptibilidades, m...
Cara Mallory,Como diria o E.Jonh: "I'm still Stand...

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais comentados

Top de Blogues

subscrever feeds