Quarta-feira, 24 de Junho de 2009

Coisas que acontecem entre as 24:00 e as 08:00

 

"Não fales mais... não fales demais... meu amor... deixa-me sentir-te a alma, sei que é estúpido dizer isto, parece conversa de poeta aprisionado em quarto almofadado… mas sei que percebes o que digo...

 

Deixa-te estar só assim, aconchegada, o tempo que quiseres ter o teu corpo nos meus braços... deixa-me passar a mão pelo teu cabelo, prendê-lo suavemente atrás da orelha, e sentir a tua respiração... és linda aos meus olhos (será que realmente o sabes ?)... e eu só quero estar assim, a ver-te ali, perfeita nesse imagem... nem sei bem como o dizer, como explicar a paz e o amor. 

 

Acho que estamos numa sala qualquer, num sofá, talvez o teu, ou talvez no conforto desconfortável dos assentos paralelos do carro, com travão de mão ligeiramente aliviado e manete das mudanças engatada em terceira, mas isso são questões físicas, descartáveis para a ocasião, que pouco importam...

 

Serás sempre a minha princesa (acho que não aceitas isso)... e a memória do toque da tua pele não basta... mas tem de servir...

 

Demasiado doce... demasiado suave... realmente demasiado bom para ser verdade...
 

 

Não me belisques já... por favor... só mais 5 minutos..."

 


Mr Anger às 07:55
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
18 comentários:
De Alguém a 25 de Junho de 2009 às 10:28
Tão bom conseguir sentir-se assim... melhor ainda ouvir estas palavras. Por vezes estamos com alguém que nos faz sentir tão bem, que é difícil acreditar ser real.

Amor assim não se sabe de onde surgiu ou como começou, da mesma forma que não se consegue perceber porque acabou...
Bom enquanto dura, quando tem de acabar ficam as lágrimas "nunca de crocodilo, pois ninguém consegue fingir as de amor"... e duvido que qualquer ser humano consiga contrariar isto!


Até breve, Mr. Anger!


De heidi a 25 de Junho de 2009 às 12:18
Por breves instantes, regressei a alguns momentos fechados na minha memória. Onde só existia um lugar escolhido ao acaso... duas pessoas... horas a passar... musica a rolar... conversas... ou nem por isso. Sabes que os silêncios também enchem a alma? cruzam-se como as palavras. A grande diferença, é que por vezes têm mais significado, porque ficamos mais alertas aos pequenos pormenores. :) Deixamo-nos ir como uma onda... naquele vai e vem...


De Sónia a 25 de Junho de 2009 às 12:36
Também me fez regressar ao mais recôndido lugar da minha alma, e dizes bem, onde existia um lugar, duas pessoas, música, conversas e as horas a voar sem o desejar. O silêncio enche a alma, traz o que queremos esquecer, ou talvez não.


De Anónimo a 27 de Junho de 2009 às 22:22
O Silêncio é das palavras mais simples e conhecedoras que existe..

O Silêncio diz tudo mesmo quando o não queremos dizer..

sinto falta daquela pessoa..
Será que ele percebe com o meu Silêncio!? vou esperar..


De AUFDERMAUR a 27 de Junho de 2009 às 23:06
Correndo o risco de me intrometer numa conversa privada (desculpe se for esse o caso), não resisti a dizer que adorei o que escreveu. Como eu a compreendo... Mas e se ficarem os dois a esperar?..
Deixo-lhe a letra de uma música cujo original eu desconheço mas há um certo cover que eu adoro :-)

In a manner of speaking
I just want to say
That I could never forget the way
You told me everything
By saying nothing
In a manner of speaking
I don't understand
How love in silence becomes reprimand
But the way I feel about you
Is beyond words

Oh give me the words
Give me the words
That tell me nothing
Oh give me the words
Give me the words
That tell me everything

In a manner of speaking
Semantics won't do
In this life that we live
We only make do
And the way that we feel
Might have to be sacrificed

So in a manner of speaking
I just want to say
That like you I should find a way
To tell you everything
By saying nothing

Oh give me the words
Give me the words
That tell me nothing
Oh give me the words
Give me the words
Give me the words
Give me the words
Give me the words


De Mr Anger a 28 de Junho de 2009 às 15:44
Concordo consigo Mel, boa escolha de música, de facto a vida e certas coisas são demasiado importantes para nos resguardarmos em silêncios... um olhar não se de precisa falar, "um adeus" ou até um "amo-te"... mas um "preciso de ti" deve ser sempre dito, quando o queremos dizer, pois senão o fizermos, corremos o risco de o guardarmos eternamente para nós... onde não precisamos dele!

(se também me estiver a intrometer, junto-me a si Mel num famigerado "ups, foi com as melhores intenções")

Mr Anger


De Alguém a 29 de Junho de 2009 às 10:34
E quando não temos ninguém a quem dizer "Preciso de ti"? Complicado, por vezes...

(mais uma intromissão!)


De AUFDERMAUR a 30 de Junho de 2009 às 16:42
Ora aqui vai mais uma intromissão :-)

A meu ver, excepto quando a pessoa em questão já morreu, se não temos ninguém a quem dizer "Preciso de Ti", é porque não precisamos de ninguém... O que não é mau por si só. Estarei a ser básica no meu pensamento? Será possível sentirmos falta de precisar de alguém?


De heidi a 30 de Junho de 2009 às 21:38
Eu sou daquelas pessoas que tem imensa dificuldade em dizer isso. Durante anos, habituei-me a contar somente comigo para resolver as minhas coisas. Por vezes, apetecia-me desabar... mas não tinha coragem para dizer essas palavras do "eu preciso de ti". Custa aprender. A sério. E no inicio luta-se imenso contra esse facto. Mas, vale a pena. As relações devem ser vistas como uma forma de doacção... um dar... e um receber. Não digo que esta ultima forma aconteça de forma automática. Negativo. Muito pelo contrário. Mas, também não podemos estar à espera que o outro consiga ler os nossos pensamentos na sua totalidade. Por vezes, o erro encontra-se mesmo nesse ponto. O ficar à espera... de algo. E depois sofrer...

Qui ça... as palavras nalguns momentos valham mesmo a pena...


De Alguém a 2 de Julho de 2009 às 12:04
"se não temos ninguém a quem dizer "Preciso de Ti", é porque não precisamos de ninguém"

Por mim falo, eu preciso sempre de alguém. A solidão não dá para mim e contar comigo própria... bem, digamos que nem sempre sou a minha melhor conselheira!
Mau no meio disto tudo é termos de facto alguém a quem dizer "Preciso de ti", mas essa pessoa não querer ou conseguir ouvir...!


De S a 2 de Julho de 2009 às 23:32
Hmmm.. K declaração de amor tão deliciosa.
Rendo-me a esta prosa.
Parabéns.
O problema é quando se dá o beliscão, e tudo o que era tão doce e intenso, se tranforma em saudade...
Não é fácil.

Gute Nacht


De Dama de Copas a 13 de Julho de 2009 às 04:55
que lindo! incrível como conseguiste transmitir tão fortes emoções... extraordinário ;) *


De Blá, Blá, Blá... a 7 de Agosto de 2009 às 22:40
Beeeeeeeeeeemmmmmmmmmmmm o Mr. Anger emana cá um Charme!!! Que Charmoso! Que Sedutor! Que Cavalheiro! Que Galã! Que palavras tão lindas!
(Que desperdício um homem com tanto amor para dar e com um alter-ego tão cheio de ódio, tão machão e pavão :D :D: D :D. Isto para já não falar dumas grandes alminhas que dedicam as horas vagas às tricas...)

O que eu gostava era que o Mr. Anger transcrevesse a versão da "sua princesa".
Acho que o contraste de versões resultaria hilariante! :D :D :D :D

Blázona cada vez mais Blázona (pode ser que quando eu voltar, daqui a uns dias, já venha mais Blázinha...)


De Joana a 4 de Setembro de 2009 às 23:57
Que bom que é ter alguém que escreva a nossa autobiografia sem precisarmos contar a nossa história, e gratuitamente - ainda por cima. Obrigado, muito obrigado Mr Anger .

Existe um sentimento que não se explica, nem se encontra quando se procura, nem segue qualquer lógica. O amor é louco! Mas não há médico nem medicamento que o acalmem. Simplesmente instala-se no peito alheio e ali fica, por vezes já meio esmorecido, tentando sofrer de amnésia , procurando adormecer num sono sem fim. Porém, ao mais pequeno sinal - o perfume, o perfil, a forma de andar alguém, os lugares por onde o amor se passeou, os recantos onde o amor se fez, as iguarias que com amor se ingeriram, o vinho branco gelado que inflamou o fogo desse amor - , ao mais recôndito sinal de vida por parte do ser amado, o amor desperta. Não devagarinho , não com calma, não sem desejo, não com loucura, não pensando nas consequencias nefastas que tudo isto já lhe causou. Mas foi bom, é bom e será sempre bom, reviver...ou apenas lembrar.


De Mr Anger a 11 de Setembro de 2009 às 00:57
Olá Joana,

Eu é que agradeço as suas belas palavras... todas elas, gostei bastante...

(Vá/Regresse, Fique!!!)


Mr Anger


De Joana a 11 de Setembro de 2009 às 15:23


(Irei, por vezes demorando por lá/Regressarei e Ficarei... sempre encantada)





De Ellen a 7 de Janeiro de 2010 às 21:06
Não tenho palavras tal a beleza unica deste texto...que lindo. sortuda da princesa.


De AUFDERMAUR a 26 de Janeiro de 2010 às 01:54
Se, como diz o Mr Anger, a princesa não aceita bem essa condição, o que a leva a pensar que ela é uma sortuda?


Comentar post

mranger.blog@gmail.com

Pesquisar (Blog)

 

Agosto 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


Post's Recentes

Cuida de ti, pequeno Godz...

Ticket to ride

Folhas arrancadas de um l...

O amor habitual

Regras base - Sobre(a)viv...

No estrangeiro também se ...

Raio-X

Regras base - Sobre(a)viv...

Factual mundano - Autocar...

Sai cognac para a mesa qu...

Mau karma (ou azar ao jog...

Jogos de vida

Modem em sincronismo

Verdades (in)discutíveis

Natureza morta com pormen...

As estatísticas dizem-me ...

Obliterar (é preciso)

De barba feita:

O perdedor (fecha a porta...

Non, rien de rien (non, j...

Tomei peyote na idade méd...

Lx Strip

Vitória (?)

Recortes flamejantes no h...

Gentes da minha terra

Curtes alpista ?

Roedores & Armadilhas

Branco ou tinto? (cheio)

A Bolha

A cultura é gourmet

Pés na estrada

A selva humana

The head bone's connected...

Mare nostrum

A vida é bela

Lucky strike

Lapsos temporais

Memória de Ferro (O.s.p.e...

Objectivamente delirante

Girino

Burros (de carga) pensant...

As flores no teu cabelo -...

Nenhum pássaro me sussurr...

A moda dos cintos apertad...

Os contribuintes (ou os b...

Comprar tabaco (eu fui)

Isto é um fato...

Reflexões no cume de um p...

Amor em formol

Introdução à Economia: "V...

Arquivos

Agosto 2016

Dezembro 2015

Abril 2015

Outubro 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Novembro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Abril 2013

Março 2013

Setembro 2012

Agosto 2012

Janeiro 2011

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Janeiro 2007

Novembro 2006

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Agosto 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

tags

todas as tags

Links

últ. comentários

A verdadeira lição que temos de retirar destes mom...
Revejo-me no que aqui escreve (e, em geral, pelo s...
Olá cara Heidi,Com o frio vigente é mais caso para...
"At first (you were) afraid, (you were) petrified....
Cara HeidiÉ por aí, como na velha máxima: "...the ...
Nada é certo dentro da nossa vida. Por mais bases ...
Se não passa de dois bitaites e mais nada, não vej...
Caro Mr AngerComo diriam as mentes simples: "Alive...
Cara Mallory,Sem querer ferir susceptibilidades, m...
Cara Mallory,Como diria o E.Jonh: "I'm still Stand...

mais comentados

Top de Blogues

subscrever feeds