Terça-feira, 23 de Junho de 2009

Coisas que acontecem

  

Se as palavras fossem acompanhadas de compreensão, provavelmente diria assim, sem soluços...

 

"Isto é um segredo... meu e teu... não o maltrates ou machuques em vão, afinal de contas é  a coisa mais preciosa que existe neste mundo, partilhamo-la. Faz como eu (conselho de...), guarda tudo (memórias e segredo)  junto ao peito, mas bem lá no fundo, onde a dor se transforma em carinho, em saudade, em amor, sempre, onde não há espaço para as coisas más,  para receios ou rancores, guarda tudo como um tesouro (porque o é), e esconde-o bem, embrulhado em veludo vermelho como tu gostas, sente-o no peito e toma notas, descreve-lhe o sabor numa folha, num caderno antigo da escola ou num diário adolescente preenchido até meio, e lê-o quando precisares de sentir... ou quando sentires que precisas... novamente... ou quando te esqueceres no futuro ao que sabia, ou quando voltares a pensar que é apenas mais uma palavra entre "aal" e "zurzir"...

 

Um dia, entre hoje e amanhã vais o querer reaprender, tens aí uma boa base, lê, sente e copia (senão conseguires mais do que isso), mas nunca te esqueças que é uma arma, e uma arma que se saca para matar, não para meter medo...

 

Quem diria não é ? Quem diria...


Olha... diria assim o Fonseca de Leiria, em jeito de despedida, em frases de booklets que ninguém lê ou pouco sentido dá...

 

"Love & Bliss"..."

 

... e as lágrimas, mesmo que injustas, desperdiçadas, cairiam de seguida livremente, mas não seriam nunca de crocodilo, pois ninguém consegue fingir as de amor... as de...

 

adeus... 

 

 

 

 

 

O MEU AMOR EXISTE - "Acto Contínuo"

Jorge Palma

O meu amor tem lábios de silêncio
E mãos de bailarina
E voa como o vento
E abraça-me onde a solidão termina

O meu amor tem trinta mil cavalos
A galopar no peito
E um sorriso só dela
Que nasce quando a seu lado eu me deito

O meu amor ensinou-me a chegar
Sedento de ternura
Sarou as minhas feridas
E pôs-me a salvo para além da loucura.

O meu amor ensinou-me a partir
Nalguma noite triste
Mas antes, ensinou-me
A não esquecer que o meu amor existe.  

 

(NOTA: Infelizmente não encontrei nenhum vídeo ao vivo... temos então de nos contentar com este em "tributo a Audrey Tautou"... que pena...)

 


Mr Anger às 14:08
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
7 comentários:
De Alguém a 25 de Junho de 2009 às 10:21
Depois de uma relativamente longa ausência de quem tão bem escreve... aparece-nos com este post, que a mim deixou um pouco baralhada!

Mas é bom termos uma "caixinha das memórias", para um dia numa viagem ao passado podermos lembrar como se sente inocentemente...


De Mr Anger a 26 de Junho de 2009 às 08:45
Bom dia,

Nem tudo pode ser de fácil leitura e/ou compreensão... percebo a dificuldade

Mas estão lá as "pistas", poucas, camufladas, para que não fosse totalmente "descabido"

Obrigado ;)

Mr Anger


De Alguém a 26 de Junho de 2009 às 09:44
Claro que nada do que escreve é ao acaso nem sem sentido!
Pessoa misteriosa, Mr. Anger... ainda bem! O óbvio facilmente se torna desinteressante... ;)

Uma das interpretações a este texto leva-nos a momentos de intimidade, momentos de cumplicidade, momentos de carinho, momentos de amor, momentos de saudade, momentos de sabedoria... enfim... momentos!


De Andreia a 29 de Junho de 2009 às 04:46
Adoro essa música do Jorge Palma, obrigado por me relembrar!! O texto é duro, mas incrivelmente belo! Mesmo quando o amor acaba nao existem falsos sentimentos pois sabemos que o amor exisitiu!

Andreia


De S a 2 de Julho de 2009 às 23:28
Como eu compreendo estas palavras... Por mais dôr que haja, na distância, na saudade o Amor, Esse , supera tudo e todos.
K acto de insanidade amachucá-lo, quando a vida passa tão velozmente e a morte é o k temos de + certo nesta vida.
Mas vale a pena guardar esse amor em segredo, quando é tão grande, nobre e puro?

Küss


De AUFDERMAUR a 3 de Julho de 2009 às 22:29
S

Gostei muito do seu comentário, se calhar porque concordo com ele :-)
Quanto à sua pergunta, se esse Amor for assim tão grande, nobre e puro não deve ser guardado em segredo! Para mim os segredos (os bons e não aqueles que se destinam apenas a esconder os nossos erros) só têm valor quando partilhados! Até pode ser só com mais uma pessoa (aquela pessoa, a tal a quem faz sentido contar). É tão bom partilhar segredos especiais... É claro que em palavras e pensamentos é tudo muito simples e fácil. Quando se quer realizá-los é que começam as complicações. Aparece o medo: e se a pessoa com quem partilhar o segredo não lhe der valor e o amachucar? E em fáceis palavras eu diria: se isso acontecer é porque a pessoa não era merecedora da grandiosidade, nobreza e pureza dele. Mas na realidade, isso doi e muito. Lá está aquilo de que o Mr Anger falou: a confiança, que é um acto bonito e de coragem...
Se me permite, deixo outra pergunta no ar :-) Se esse Amor for assim tão grande, nobre e puro, será que se consegue mesmo manter em segredo? Não se tornará ele, a certa altura, perceptível aos olhos dos outros? Ou será que é perceptível aos olhos de todos menos aos olhos da pessoa a quem devia ser? O Amor é uma bela fonte de perguntas :-)

Mel


De Dama de Copas a 13 de Julho de 2009 às 04:53
bolas, escreves mesmo bem!


Comentar post

mranger.blog@gmail.com

Pesquisar (Blog)

 

Julho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


Post's Recentes

O amor (é) de alguém

Cuida de ti, pequeno Godz...

O contracto (em actualiza...

O mar enrolado em ti

Cuida de ti, pequeno Godz...

Ticket to ride

Folhas arrancadas de um l...

O amor habitual

Regras base - Sobre(a)viv...

No estrangeiro também se ...

Raio-X

Regras base - Sobre(a)viv...

Factual mundano - Autocar...

Sai cognac para a mesa qu...

Mau karma (ou azar ao jog...

Jogos de vida

Modem em sincronismo

Verdades (in)discutíveis

Natureza morta com pormen...

As estatísticas dizem-me ...

Obliterar (é preciso)

De barba feita:

O perdedor (fecha a porta...

Non, rien de rien (non, j...

Tomei peyote na idade méd...

Lx Strip

Vitória (?)

Recortes flamejantes no h...

Gentes da minha terra

Curtes alpista ?

Roedores & Armadilhas

Branco ou tinto? (cheio)

A Bolha

A cultura é gourmet

Pés na estrada

A selva humana

The head bone's connected...

Mare nostrum

A vida é bela

Lucky strike

Lapsos temporais

Memória de Ferro (O.s.p.e...

Objectivamente delirante

Girino

Burros (de carga) pensant...

As flores no teu cabelo -...

Nenhum pássaro me sussurr...

A moda dos cintos apertad...

Os contribuintes (ou os b...

Comprar tabaco (eu fui)

Arquivos

Julho 2017

Junho 2017

Agosto 2016

Dezembro 2015

Abril 2015

Outubro 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Novembro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Abril 2013

Março 2013

Setembro 2012

Agosto 2012

Janeiro 2011

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Janeiro 2007

Novembro 2006

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Agosto 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

tags

todas as tags

Links

últ. comentários

A verdadeira lição que temos de retirar destes mom...
Revejo-me no que aqui escreve (e, em geral, pelo s...
Olá cara Heidi,Com o frio vigente é mais caso para...
"At first (you were) afraid, (you were) petrified....
Cara HeidiÉ por aí, como na velha máxima: "...the ...
Nada é certo dentro da nossa vida. Por mais bases ...
Se não passa de dois bitaites e mais nada, não vej...
Caro Mr AngerComo diriam as mentes simples: "Alive...
Cara Mallory,Sem querer ferir susceptibilidades, m...
Cara Mallory,Como diria o E.Jonh: "I'm still Stand...

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais comentados

Top de Blogues

subscrever feeds